SMA - Atrofia Muscular da Espinha

SMA é uma desordem neuromuscular hereditária que afeta a ossatura e a musculatura do tronco e dos quadris. Uma perda de neurônios nos primeiros três meses de vida provoca uma fraqueza muscular e a atrofia começa a aparecer entre o terceiro e o quarto mês de vida. Filhotes afetados desenvolvem um modo de andar atípico, com uma oscilação que vai da parte de trás dos quadris até os tornozelos. Eles também podem apresentar os dedos dianteiros virados para fora. Por volta de 5-6 meses de vida, os quadris já estão muito fracos para que eles pulem nos móveis e freqüentemente eles se desequilibram quando pulam para descer de algum lugar. O pêlo longo do Maine Coon pode esconder, mas se tocarmos cuidadosamente os seus membros podemos perceber uma massa muscular reduzida. Filhotes afetados não sentem dor, eles comem e brincam normalmente e muitos vivem confortavelmente como gatos de interior e duram muitos anos. É sabido que muitos filhotes afetados vieram de criadores dos Estados Unidos e que foram exportados em larga escala.

Sinais Clínicos:

Os primeiros sinais clínicos são observados entre 15 e 17 semanas de vida. Anormalidades iniciais são representadas pela fraqueza do membro posterior e um tremor generalizado. Filhotes afetados perdem a capacidade de pular com firmeza com cinco meses de vida e andam oscilando a parte traseira dos quadris. Alguns sinais observados, ainda que de forma variada, são a sensibilidade anormal quando tocados nas costas, a intolerância ao exercício, e a respiração forçada. Depois de um período inicial de rápida degeneração, a progressão dessa desordem diminui ou estagna num estágio de atrofia variável do músculo, fraqueza e baixa mobilidade.

Hereditariedade:

Esta desordem é herdada de um autossôma simples e de caráter recessivo. Para um filhote ter a desordem do SMA, ele tem que ter recebido de ambos os pais uma cópia mutada (recessiva) do gene desta doença, e filhotes machos e fêmeas são igualmente afetados. Os pais do filhotes afetados não mostram sinais da doença, mas são obrigatoriamente portadores.



Testando SMA

Existe um exame de DNA que identifica o gene mutado que causa a SMA em Maine Coons. Usando esse teste é possível identificar o gene mutado em gatos afetados pela SMA, os gatos portadores do SMA, bem como os gatos geneticamente negativos para essa doença.

Kits para recolher amostras podem ser obtidos solicitando:

Dr John C. Fyfe, Laboratory of Comparative Medical Genetics, 2209 Biomedical Physical Sciences Bldg, Michigan State University, East Lansing, MI 48824-4320, US.A.
Email: fyfe@cvm.msu.edu

Alguns outros laboratórios que também fazem esse teste estão listados abaixo. Esta lista não é completa, e podem existir outros laboratórios.

Como testar seu gato:

A amostra de DNA pode ser recolhida pelo seu veterinário. O veterinário deve preencher o formulário da amostra com as informações do proprietário e da identificação do animal. O formulário, a amostra e o pagamento devem ser enviados juntos ao laboratório e você receberá posteriormente o resultado.

 

Recomendação para Criadores

SMA é uma desordem autossômica recessiva. Até o momento ainda não sabemos como esta doença afeta a reprodução do Maine Coon; inicialmente pensávamos que ela se encontrava em apenas uma linhagem, mas recentemente foram descobertas outras linhagens afetadas.

Existe um teste de DNA disponível, e ambos os gatos afetados e portadores podem ser diagnosticados. Recomendamos as diretrizes abaixo para gatos reprodutores:

  • É fortemente recomendado testar gatos que tem parentes portadores ou afetados.
  • Testar gatos reprodutores mesmo que sem parentesco com gatos afetados ou portadores é também uma boa idéia, pois gatos portadores têm aparecido em linhagens anteriormente consideradas sem risco.
  • Portadores podem ser usados para reprodução, mas devem somente ser reproduzidos com gatos normais em relação à mutação SMA, e sabendo que 50% da cria será também portadora do gene recessivo mutado. Todos os compradores dos gatos portadores e gatos cujo o status é desconhecido, ou provenientes de combinações em que ambos parentes não são negativos, devem ser informados sobre a doença e sobre os riscos desses gatos serem usados para reprodução. Portadores heterozigotos nunca terão sinais dessa doença; logo essa é uma informação relevante para o comprador. Mesmo sendo improvável que o comprador de um gato de estimação venha mais tarde decidir reproduzi-lo sem contactar antes o criador, é importante que os compradores entendam perfeitamente a natureza dessa doença e a situação do seu filhote.
  • Gatos afetados (com ambos genes SMA mutados) não devem ser usados para reprodução.

 

 

Tradução: Roberta Martire - Chatterie des Mûres Sauvages
Fonte: Site Pawpeds
Link: http://www.pawpeds.com/healthprogrammes/sma_pt.html